Publicidade médica em destaque na apresentação da Diretoria Regional Canoinhas

Dirigentes e assessores do SIMESC estiveram em Canoinhas para um encontro com os médicos da região. O encontro foi marcado para apresentar os novos integrantes da Diretoria Regional e também, atualizar os médicos sobre a importância da participação no Sindicato e apresentação de duas palestras que tiveram como tema publicidade em medicina.

A Diretoria Regional Canoinhas é formada pelos médicos André Luiz de Carvalho (presidente), Djon Rober Watzko  (secretário) e Vagner Marcolin Trautwein (tesoureiro). “Estamos a postos para contribuir e apoiar os médicos da nossa região”, destaca o presidente Regional.

“É muito importante mantermos uma Diretoria Regional pela oportunidade que os médicos têm de tratar os assuntos locais com representantes do Sindicato em sua região. Cada região tem suas demandas e devem ser tratadas com suas especificidades”, destaca o secretário Geral do SIMESC, Roman Leon Gieburowski Jr.

O presidente do Sindicato, Cyro Soncini comentou sobre os trabalhos realizados nesse um ano e quatro meses de mandato. Para ele o mais importante foi “termos recebido o SIMESC com seis diretorias regionais e hoje temos 21 atuando. Criamos a Regional Concórdia que como a de Mafra, será formatada no próximo ano”, destacou.

O advogado da Assessoria Jurídica, Rodrigo Machado Leal e a jornalista Carla Cavalheiro apresentaram palestras sobre publicidade em medicina. Rodrigo falou sobre as questões normativas do Conselho Federal de Medicina (CFM). Destacou a importância da parceria com agências especializadas na área para amenizar qualquer tipo de interpretação equivocada a respeito do material e também, explicou que a relação médico-paciente é uma relação de consumo de acordo com o Código de Defesa do Consumidor.

“Além de se preocupar com a prática médica, o profissional precisa estar atento à questão da publicidade que envolve desde o receituário, o cartão pessoal e chega às postagens em redes sociais. A Comissão de Divulgação de Assuntos Médicos (Codame) tem punido os médicos aqui no Estado por equívocos cometidos principalmente no ambiente digital”, destaca Rodrigo.

A jornalista Carla apresentou exemplos do impacto do comportamento inadequado dos médicos e a repercussão que isso tem nas redes sociais e na imprensa. “Por mais que o médico trabalhe em condições inadequadas, o comportamento em relação ao paciente tem que ser o mais humano e próximo possível para evitar postagens em redes sociais que o desqualifiquem. Essas situações também geram grande repercussão na imprensa e temos relatos de médicos que não suportam essa exposição e cometem suicídio”, relata ao frisar que é muito importante o profissional saber usar o ambiente digital para promover educação em saúde. “Ainda que não possa fazer ofertas de sua clínica e seus serviços, o médico pode ofertar informação de qualidade sem que isso seja uma consulta virtual ou anule a importância de o paciente buscar orientação presencial”, encerra.

O coordenador adjunto do SIMESC, Jean Proêncio, participou das atividades.