Dirigentes do SIMESC reúnem-se com secretário de Estado da Saúde

Cyro Soncini (presidente), Roman Gieburowski Junior (secretário geral) e Luis Roberto Medina dos Santos (diretor de Relações Intersindicais), estiveram reunidos na quarta-feira (05/06/19) com o secretário de Estado da Saúde de SC, Helton Zeferino, para tratar de assuntos de interesse dos médicos e da saúde. Em 10 de abril, o SIMESC protocolou documento à SES solicitando reunião de trabalho, antecipando as pautas que precisam voltar à discussão com o Estado (Leia o documento AQUI).

Antes de entrar nos assuntos apresentados pelo SIMESC, Cyro falou sobre o Fórum de Entidades Médicas de SC (FEMESC), que será realizado nos dias 5 e 6 de julho, em Brusque. Comentou sobre a importância da presença do secretário. “Com muita frequência temos a participação dos representantes do Estado”, reforçou Roman, que destacou que assuntos importantes como a judicialização e financiamento da saúde estarão na pauta do evento.

Cyro iniciou o diálogo informando sobre a ação que o SIMESC prepara para garantir aos médicos que recebem sobreaviso (Leia AQUI). “É uma situação que temos que recorrer ao judiciário para garantir o direito dos médicos ao pagamento retroativo de valores devidos, bem como o pagamento futuro de valores de gratificação natalina, férias, licença prêmio e licença saúde sobre o sobreaviso”, apontou Cyro.

Sobre a Retribuição por Produtividade Médica (RPM), o secretário informou que o pedido do SIMESC para que os médicos auditores, reguladores e psiquiatras sejam contemplados conforme solicitado pelo SIMESC em outra oportunidade, está sendo avaliado. “Estamos avaliando a gestão de maneira geral e essa solicitação está incluída”, disse Helton.

Em relação a recursos humanos,  Roman Gieburowski destacou a importância da realização de concurso público. “Entendemos que vocês estão em início de gestão, mas o concurso tem que estar na pauta”. Helton disse que há processo para temporários aberto e o secretário geral do SIMESC reforçou. “Esses médicos sendo contratados via CLT garante mais segurança para que eles permaneçam no quadro. Mas insistimos na importância do concurso”, acrescentou Roman.

Sobre o programa Mais Médicos, Cyro Soncini reforçou a importância da contratação de estrangeiros com Revalida. “Temos que também parar com a contratação desses médicos para os grandes centros e coloca-los onde realmente há necessidade”.

Em relação ao SAMU, Cyro destacou que os médicos estão há cinco anos sem reajuste. “Essa informação chegará à sua mesa ainda mais nesse momento de renovação de contrato. Pedimos que seja avaliada com atenção porque os demais profissionais foram beneficiados com reajuste, menos os médicos, que estão se sentindo desprestigiados”.

Ao falar sobre o compromisso do Estado de instituir o Piso Fenam, Cyro frisou que é um assunto para a montagem de um grupo de trabalho. “São seis meses de mandato. Não podemos cobrar de vocês uma resposta imediata, mas não podemos deixar que isso continue adormecido”, pediu.

Luis Roberto Medina destacou a importância de a gestão dar atenção aos grandes hospitais, como Celso Ramos e Regional de São José. “Precisamos de mais colegas em várias especialidades e a questão da revisão do sobreaviso que está sendo cortado”.

O secretário Helton comentou que sua gestão está reavaliando o sobreaviso. “Escalas sem efetividade não podem permanecer. Estamos revisando diversos procedimentos para tornar a gestão da SES e por consequência das nossas unidades de saúde mais organizadas. A gestão tem que ser voltada para os resultados que nós precisamos. O olhar tem que ser ampliado para darmos conta da nossa proposta de atendimento em saúde. Em muitos casos, temos aumentado o sofrimento dos pacientes. Isso precisa mudar”, apontou.