Saiba o que são e como se proteger de infecções das vias respiratórias

A temperatura começa a baixar e, dentro das casas, escolas e empresas algumas cenas se repetem com frequência: tosse, espirro, dor de garganta, nariz entupido, coriza, dor de cabeça e todos os sintomas comuns a gripes, resfriados e às famosas “ites”: amigdalite, sinusite, faringite, bronquite e por aí vai! Não tem jeito! Os dias mais frios trazem o crescimento dos casos de IVAS, que são as infecções virais das vias respiratórias, doenças que afetam a garganta, o nariz, ossos da face, brônquios e pulmões.

Normalmente, essas infecções são causadas por micro-organismos como fungos, vírus e bactérias, e acabam tendo maior incidência no inverno por ser uma época que as pessoas passam bastante tempo em ambientes fechados, favorecendo a circulação desses micro-organismos.

As infecções respiratórias altas, que atingem a face, são as mais comuns porque costumam ser contagiosas. Lugares com aglomeração de pessoas como escolas, ônibus, teatros e empresas são um prato cheio para a propagação desse tipo de virose. As infecções baixas, por sua vez, geralmente são mais graves e costumam atingir pessoas com baixa imunidade ou de grupos de maior risco, como idosos, bebês e crianças.

A prevenção desse tipo de doença começa por hábitos simples como lavar as mãos frequentemente e deixar os ambientes limpos e arejados. No entanto, alguns cuidados como manter uma alimentação equilibrada, ter boas noites de sono, evitar o consumo excessivo de bebidas alcoólicas e manter-se longe do estresse prolongado também podem ser fundamentais para manter o sistema imune forte e evitar as infecções.

Diante dos primeiros sintomas, o paciente deve consultar um médico Clínico o mais rápido possível para evitar um agravamento da situação. Repouso, ingestão de líquidos e medicamentos prescritos pelo profissional, que variam de acordo com a doença, são fundamentais para o processo de cura!