O que fazer quando não é possível controlar a vontade de comer?

woman eats sweets at night to sneak in a refrigerator

woman eats sweets at night to sneak in a refrigerator

Você conhece alguém que frequentemente come rápido, até ficar “cheio”, mesmo sem fome? Conhece alguém que come escondido, sem controle e depois tem aquele sentimento de culpa? E conhece alguém que não tem fome de manhã, mas à noite come tudo o que vê pela frente, faz ataques noturnos à geladeira e tem dificuldades de dormir?

No centro desses exemplos está a perda de controle na quantidade de alimento ingerido, os chamados Transtorno da Compulsão Alimentar e a Síndrome do Comer Noturno, que são Transtornos da Conduta Alimentar que ocorrem em cerca de 2 a 5% da população, com discreta predominância entre as mulheres. Boa parte dos diagnósticos desses transtornos ocorrem em indivíduos que fazem algum programa de controle de peso.
Esses pacientes têm tendência ao sobrepeso e obesidade e podem ter transtornos depressivos, ansiosos ou bipolaridade associados. Esses casos necessitam de uma avaliação médica com condutas multiprofissionais específicas.
 
Casos mais moderados
 
E as pessoas que não chegaram a tanto, mas têm aquela vontade, de vez em quando, quase incontrolável de comer chocolate, sorvete, pastel e estão precisando diminuir o percentual de gordura corporal?
 
Nesses casos, além de distribuir corretamente as refeições ao longo do dia, deve-se evitar contato com os alimentos que causam o fenômeno do ataque de vontade de comer. Pode haver a necessidade de utilizar alimentos específicos e fitoterápicos com efeito sacietógeno ou que façam o cérebro “esquecer” daquela vontade. Entretanto a terapia farmacológica pode ser necessária em casos mais graves e deve ser prescrita por um médico capacitado.
 
Do ponto de vista prático, o importante é sempre ter uma alimentação equilibrada por perto para evitar o risco de atacar o que não deve.
 
Lembre-se: não comemos apenas por necessidade de energia e nutrientes, comemos também para aplacar a ansiedade, o tédio e como uma recompensa por um dia difícil. Tente perceber isso e não caia na armadilha. Se precisar, peça ajuda!
 
Coma com prazer, mas com controle e equilíbrio.
 
Dr Alessandre Tramontim – Médico Nutrólogo – CRM SC 9036 RQE 13049 – Título de Especialista pela Associação Médica Brasileira e Associação Brasileira de Nutrologia.
 
www.alessandretramontim.com.br