Uso de suplementos vitamínicos: da performance ao risco à saúde

Pesquisas revelam que as vitaminas estão entre os suplementos mais utilizados pelos atletas e por muitos sedentários que não possuem conhecimento científico adequado sobre sua real necessidade. Em vários congressos médicos e trabalhos científicos os pesquisadores alertam que o uso indiscriminado de algumas vitaminas pode gerar problemas que vão dos cálculos renais até uma maior incidência de câncer em grupos específicos de pacientes, como o uso de Vitamina A/Betacaroteno em tabagistas.

As vitaminas, preferencialmente oriundas dos alimentos e pela exposição ao sol (Vitamina D) são vitais ao bom funcionamento, do organismo. O problema é o raciocínio equivocado de quanto mais, melhor.

Um dos grupos mais vulneráveis para as carências de vitaminas e minerais são indivíduos atletas ou não que estão fazendo programas de controle de peso, com dietas restritivas e com baixo consumo de vegetais. Assim, a suplementação de vitaminas e minerais deve ser restrita aos casos de comprovada carência, quando as doses são da terapêutica médica.

Algumas vitaminas têm alto poder antioxidante e no caso dos atletas, a suplementação de vitaminas, minerais e outros flavonoides antioxidantes pode atenuar o estresse oxidativo do exercício, porém as doses incorretas e desnecessárias podem interferir negativamente nos processos biológicos adaptativos. Os atletas bem condicionados tem um sistema antioxidante oriundo da própria condição física privilegiada e em regra, não precisa de pílulas antioxidantes.

Um dos maiores problemas do uso indiscriminado e em altas doses das vitaminas vem agora: a ação pró-oxidante, ou seja, a ação de ser maléfica para a saúde. O Organismo tem um equilíbrio entre o estresse oxidativo (normalmente relacionado a doenças) e o sistema antioxidante (em geral protetor). Uma desbalanceada intervenção nesse sistema pode desencadear riscos à saúde e aumento da mortalidade em indivíduos suscetíveis.

Para os atletas, algumas vitaminas são muito importantes pois atuam nos sistemas de energia das células e portanto na performance esportiva. Estas vitaminas do complexo B e C são hidrossolúveis e têm relação direta com a transferência de energia no organismo e a suplementação caso necessária se faz após avaliação médico nutrológica com o objetivo de se saber a necessidade, o momento do uso e as doses ideais.
Conclusão: algumas vitaminas podem ser aliadas da performance. Mas quando usadas de maneira indiscriminada ou em altas doses podem por em risco a saúde.

Dr Alessandre Tramontim – Médico Nutrólogo – CRM SC 9036 RQE 13049 – Título de Especialista pela Associação Médica Brasileira e Associação Brasileira de Nutrologia

www.alessandretramontim.com.br